Financier Corretora de Seguros

Previdência privada: sua renda garantida após a aposentadoria

A previdência privada é a melhor escolha para quem deseja ter uma quantia guardada para a aposentadoria e desfrutar da vida com tranquilidade. Normalmente, ela é contratada pelo próprio indivíduo como um complemento à aposentadoria oferecida pelo governo por meio do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Ela funciona como uma aplicação financeira que vai sendo feita ao longo do período de contrato e que pode ser resgatada futuramente. Se você deseja entender como funciona a previdência privada e os cuidados que devem ser tomados em sua contratação, veio ao lugar certo!

O que é previdência privada?

A previdência privada é uma aplicação financeira em que você escolhe a quantia que vai aplicar por mês ou ano, o tempo de aplicação e o prazo para resgate. Assim, o investidor tem maior liberdade do que na Previdência Social, que é obrigatória e tem alíquotas reguladas por lei.

A saber, a previdência privada pode ser PGBL ou VGBL. Em suma, elas diferem no que diz respeito à tributação e às deduções no Imposto de Renda. O regime de tributação também varia, podendo ser progressivo ou regressivo.

Também é importante saber que os fundos brasileiros de previdência privada estão sujeitos à fiscalização da Superintendência de Seguros Privados (Susep), do Ministério da Economia.

Como funciona?

Com a previdência privada, o investidor contribui com uma determinada quantia ao longo de sua vida para, futuramente, resgatar o valor acumulado junto aos rendimentos.

O cálculo da contribuição é feito por meio dos planos de previdência privada, que dão uma estimativa do valor e do tempo em que deve ser feito o pagamento para que o investidor receba a quantia desejada.

Além disso, há a possibilidade de escolher sacar o dinheiro de uma só vez ou retirá-lo como se fosse uma renda mensal.

PGBL x VGBL: qual a diferença?

Existem dois tipos de planos de previdência privada: PGBL e VGBL, que possuem valores, periodicidade e prazos diferentes. No entanto, a grande diferença entre eles é em relação à tributação.

Assim, entender o funcionamento de cada um é primordial para decidir de forma mais assertiva qual contratar.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O PGBL é um tipo de plano que é deduzido do Imposto de Renda. Desse modo, ao declarar o IR, o investidor pode deduzir até 12% de sua renda tributável e, como consequência, ser menos tributado.  

Além disso, o IR incide sobre o valor total da aplicação. Ou seja, o valor aplicado somado com os rendimentos.

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

O VGBL é o tipo de previdência privada mais comum no Brasil. Nele, os impostos incidem apenas sobre os rendimentos, porém, ele não garante dedução alguma do IR.

Qual é mais vantajoso?

Ao escolher pelo PGBL, o investidor deve pagar um imposto maior no final, mas tem uma cobrança menor durante o prazo de contrato.

Por outro lado, no VGBL, o imposto é menor no final, mas a carga tributária durante o contrato é maior.

A diferença entre essas formas de tributação é conhecida como tabela progressiva (PGBL) e tabela regressiva (VGBL).

É importante realizar uma análise tributária cuidadosa antes de optar pelo tipo de plano, de preferência com um profissional especializado.

Benefícios da previdência privada

– Possibilidade de escolha entre duas opções de tributação;

– Imposto de Renda é cobrado apenas no momento do resgate;

– No caso de morte do segurado, não há necessidade de inventário e o dinheiro é liberado para os herdeiros;

– Portabilidade para outros fundos de previdência sem custos adicionais;

– Maior liberdade de resgate;

– Opção de débito automático da conta do beneficiário.

 

Esperamos ter te ajudado com este artigo! Se você deseja investir em previdência privada e necessita de uma ajuda especializada, pode contar com a Financier! 😉

Saiba mais

Contate um de nossos especialistas

Monte um seguro feito especialmente para você!