Financier Corretora de Seguros

Tudo que você precisa saber sobre planos de saúde

Escolher um plano de saúde não é simples… Continue a leitura para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto

Contratar um plano de saúde é a melhor escolha para quem deseja cuidar regularmente da saúde e não ser pego desprevenido em momentos de emergência. No entanto, ao pesquisar sobre as opções disponíveis, muitos se deparam com termos complicados e sentem dúvidas em relação à melhor opção. Pensando nisso, preparamos este material para esclarecer as principais questões em relação ao assunto.

O que é um plano de saúde?

Os planos de saúde são contratos feitos com empresas privadas que oferecem os serviços pré-estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Entre eles, estão incluídos consultas, exames, cirurgias, entre outros.

Além disso, essas operadoras possuem uma lista de hospitais credenciados, onde o cliente poderá ser atendido ao realizar o convênio médico. Geralmente, todas as operadoras oferecem serviços similares. A diferença, no entanto, está nas coberturas extras. A variação do preço ocorre justamente por conta desses adicionais e da qualidade dos hospitais e laboratórios onde o beneficiário será atendido.

Cobertura

Existem diversos tipos de coberturas de planos de saúde. A ambulatorial, por exemplo, cobre apenas consultas, enquanto a ambulatorial hospitalar, consultas e internações.

Uma escolha importante é em relação às acomodações, que podem ser compartilhadas ou individuais. Outro ponto é a abrangência do seu plano, que pode ser nacional, regional ou municipal, cobrindo municípios de sua escolha.

Além disso, existem planos de valor mais elevado, que oferecem assistência em viagens internacionais.

Carência

A carência é o período que a pessoa precisa aguardar para começar a usufruir dos benefícios contidos no plano escolhido. Os períodos máximos são estabelecidos pela ANS, mas algumas empresas permitem a utilização antes do final deste prazo. Geralmente, isso acontece com consultas e exames mais simples, que costumam ser liberados 30 dias após o contrato.

Com relação às doenças que o beneficiário já tinha conhecimento antes da contratação, exames de alta complexidade, cirurgias e demais procedimentos só podem ser realizados após 2 anos.

Serviços de obstetrícia, por exemplo, exames de pré-natal e partos prematuros, podem ser realizados imediatamente. No entanto, em relação ao parto a termo, a gestante terá que aguardar 300 dias.

Coparticipação

A coparticipação acontece quando o beneficiário paga, além da mensalidade, uma porcentagem em cada consulta. Ao contrário do que muitos pensam, isso não significa que o pagamento está sendo feito duas vezes. Afinal, existe um teto estabelecido por cada operadora, sem contar que o valor de um plano com coparticipação costuma ser cerca de 20% mais barato do que um plano que não possui essa modalidade.

No entanto, essa opção não é muito vantajosa para quem utiliza muito o plano, como idosos ou recém-nascidos. Assim, a opção sem coparticipação é a ideal.

 

Como funcionam os reajustes?

Os planos de saúde contam com dois tipos de reajuste: pela faixa etária e pela inflação e variação dos custos médicos.

No primeiro caso, existem dez faixas diferentes e quando você migra de uma para a outra, o valor do plano aumenta. Acima de 59 anos, o reajuste para de ser aplicado.

Já no segundo caso, e planos por adesão, o reajuste ocorre anualmente, geralmente no mês de maio. Para os planos de CNPJ, a mudança ocorre sempre no aniversário do contrato.

A ANS estabelece uma porcentagem máxima de reajuste. Porém, esse novo valor é calculado com base na utilização da carteira de clientes das operadoras, o que faz com que o preço varie de uma empresa para outras.

Tipos de plano de saúde

Individual

O plano de saúde individual é destinado a uma pessoa, sendo assim, limitado a apenas um CPF. Dependendo da operadora, a cobertura pode ser regional ou nacional.

É uma ótima opção para quem trabalha de forma autônoma ou em uma empresa que não fornece plano de saúde empresarial.

Familiar

Neste tipo de plano, pessoas de uma mesma família fecham um único contrato, sendo atendidas na mesma rede credenciada. Para aderir ao plano, o titular deve ser pessoa física e incluir, pelo menos, mais duas pessoas ao contrato.

As limitações relacionadas aos dependentes variam de acordo com cada operadora. No entanto, a maioria exige comprovação de vínculo familiar e que os dependentes tenham idade máxima de 38 anos. Apenas o cônjuge não possui essa restrição.

Empresarial

O plano de saúde empresarial é um benefício que a empresa fornece aos seus colaboradores, que recebem assistência médica privada, com consultas, exames e internações.

Algumas empresas optam por pagar o valor integral do plano, enquanto outras pagam uma parte e descontam o restante da folha de pagamento do funcionário. Além disso, o plano pode ou não ter coparticipação, mas isso varia de empresa para empresa.

Existem diversos tipos de plano de saúde e, o mais importante: diversos aspectos que devem ser levados em consideração na hora da escolha. Por isso, é muito importante ler todas as informações detalhadamente e tirar possíveis dúvidas. Assim, você garante que fez a escolha certa para você e sua família!

Saiba mais

Contate um de nossos especialistas

Monte um seguro feito especialmente para você!